Autoridades kabuverdiano tem stado ta uza figura de taxa pa toma dinhero de cidadon, si ki ADECO fla.
E ma keli ta kontisi mas na “kamadas desfavorecidos”

Associasom pa defeza de Consumidor akuza autoridades e entidades nacional de uza figura de taxa pa storki cidadaons dinhero.
Presidente de ADECO, António Pedro Silva denuncias abusos e è afirma ma submison de pessoas ta facilita situasom.
ADECO-260x195
Dirigente de ADECO ki sa ta papiaba onti na um kofirencia de emprensa, na Sao Vicente, afirma ma situasom ta kontice mas na ” kamadas desfavorecidos”. “E na txeu kazu es ta konta ku poderozu aliado e es aliado è medo. Populason ta fika passivo e ka ta luta” è fla.

António Pedro Silva explika ma taxas debi sigui princípio de proporcionalidade e ma es ka debi ser mas tcheu ki kusto de serviço prestado. Entretanto é ta konsidera ma tcheu de taxas ki ta kobrado na paiz “ka sta de akordu ku lei” e é da exemplos:
“taxa de aluguer de contador ki dja tem monte anu ki sta na ARE, o ki é um absurdo, taxa de imprimi factura ki inda sta kontinua, taxas bankarios “é inaceitável ki um simples deklarasom de movimentos bancários de durante 6 mes ki ta tradu pa assuntu de trata visto, um banko ta kobra mil escudo. Autoridades ka pode sta ta autoriza kuzas des tipo” è exemplifika.

António Pedro Silva apresenta um exemplo de um factura de agu de lokalidade de Sao Francisco, na cidade de Praia, undi ki ta kobradu um taxa de 25$ pa imprimi factura alem de taxa de manutensom de agu.
É purguntado pamodi ki autoridades nacionais ka responde denuncias de ADECO, António Pedro Silva fla mes ta responde mas ka ku inteligência ki ta sperado.
“Keli è habito de autoridades e entidades de Kabu Verde e nao so, ta reflete na populasom; es ta funciona mas ku base na sperteza de ki na inteligência.

Presidente de ADECO garante ma kazu de taxa de imprimi facturas dja foi envido pa Presidente da República, pa Procuradoria e pa Primeiro-ministro. Se assunto ka for resolvido, Associasom ta bai tribunal.