Portugal: Denuncia anonimo na SEF descubri jugadores ku documentos falso. Jogador Platiny Alves, constituído arguido.
Quinze futebolistas sta investigado pa policia devido falsificason de documento

Platiny Alves
Platiny Alves 

Futebolista caboverdiano Platiny Lopes Alves de 20 anu, foi constituído arguido pa Ministério Público português, pamodi sta desconfiado  ma é falsifica carimbo de documento e ma é apresenta um registo criminal falso kantu é faze pedido de residência na Portugal pa é pode continua na juga.

Segundo jornal Asemana, alguen faze denúncia anónimo na SEF (Serviço de Emigração e Fronteiras), o ki poi SEF bai analisa documentos ki Platiny entregaba kantu é faze pedido de  residência e es nota alguns kusas falso na papel de registo criminal ki “emitido” pa Conservatória de Registos de S. Vicente na dia 23 de Dezembro de 2013.

Na kel documento sta erros, sima por exemplo: devia sta escrito  ‘indivíduo’ mas es poi  ‘individo’ e tambe invés de sta frase  ‘verifique a autenticidade” podu ‘verifiquei a autenticidade’.
Tambe  documento atxadu ku carimbo fetu de manera digital, e nes documentos normalmente serviço de Registos e Notariado cabo-verdiano ta poi carimbo de óleo. Inda verificado ma assinatura de funcionário ki passa documento foi fetu de manera falso.  Devido tudo es erros ki atxadu, SEF, txiga concluson ma keli ta prova ma documento ki Platiny apresenta ma é falso.

Platiny sta jugaba pa Gil Vicente kantu descubrido ma supostamente é falsifica documento, e pamodi keli, es tral des clube .
Pamodi autoridades portugues dja tomal passaporte, é sta  impedido de viaja. Es jogador caboverdiano sta praticamente preso na Portugal.

Platiny dja interrogado dos bés pa autoridades, na  um declarason fetu na jornal A Semana, é fla: “Realmente abridu um  investigason, mas n ta garanti ma nhas documentos é verdaderu”.
Platiny inda xplika ma nes momento é sta sem clube, ma ten otrus clubes portugues ki sta interessado nel, mas ma primeru é ten ki resolve es problema.

Es jogador ki é natural de ilha de Fogo e ki criadu na S. Vicente, conta ma, é lebado pa Portugal  kantu é tinha 16 anu. Italiano ki lebal pa é bai juga, poku tempo dipos ki es txiga na Lisboa es agente desaparece, e Platiny nunca mas ka sabe del.
Kantu é fika abandonado, clube Gil Vicente pol na juga e es dal um contrato de trabadju, ki djudal asi na ten carton de residência.

Conforme SEF,  es jogador entra na Portugal na Outubro de 2013, ku um visto de prazo curto pa trinta dia. Na Janeiro de 2014 é pidi autorizason de residência, mas negado pamodi é ka tinha requisitos ki ta exigido pa pode dadu autorizason de residência .
Logo de seguida, Platiny pidi pa torna djobedu si processo, des bes ku contrato de trabadjo de clube Gil Vicente ki ta garantiba si estadia na Portugal. Des manera é konsigui autorizason de residência válido ti  Março de 2015. Nes mesmu altura, é pidi renovason de se permanência legal na Portugal. Só ki 2 mes dipos SEF recebe um denúncia anónimo, na fla ma es jogador caboverdiano falsifica  documentos ki SEF ta kustuma pidi na pessoas ki kré renova ses estadia na kel país. Logo na mês de Maio, Platiny obidu pa autoridades e é  constituído arguido.

Pamodi existe provas forte de falsificason de documento, ki é punido pa Código Penal, SEF xplika ma lei ta obriga  ma pedido de autorizason de residencia ten ki ser  cancelado, es fla ma keli ta kontisi sempre ki fazedu declarasons falso ou enganosos, ou si apresentado papel  falsificado ou papel ki conseguido  através de meios coruptos.

Tambe sta kestionado idade des jogador. Segundo António Fiúza, ki é presidente de clube Gil Vicente, es situason panhas de surpresa e dexa ses clube fica mal. É ta considera ma es foi enganado, pamodi es contrata jogador na pensa ma é tinha  idade ki é apresenta na si documentos. É xplika: ”Ficámos estupefactos e tristes com a situação porque acreditámos nos documentos que ele nos apresentou”.
Pamodi es akusason de falsificason de documento, Platiny ka sta juga mas pa es clube, mas antes des tral, dje tinha contrato assinado ku Gil Vicente, ki é válido ti Junho de 2018. Es contrato tem um cláusula de rescisão  avaliado na 2,5 milhões de euros.

Segundo jornal Asemana, vários jovens ki bai juga na strangeru, sta volta pa Cabo Verde frustrados pamodi es ka konsigui contrato ki es prometedu, tambe alguns sta volta pamodi medo de descubridu ku documento falso, oras ki es bai tenta renova documento.

Devido ameaças de terrorismo ki ten sido fetu na Europa, SEF passa na exigi otrus tipos de documentos pa renova autorizason de residência e keli sta dificulta pessoas ki dja apresentaba documentos falsos kantu es entraba ku primeru pedidu.