Um ano depos de primeiro bes ke parci publikamente, o ki resta de Movimento Acção Cívica (MAC #114)?

Ronny Moreira, rostu mas konxedu des grupo ki parce na meio de sociedade civil, e formado pa jovens, responde ma el e se kolegas ti inda es sta kontinuua activo. Só ki es ta parci mas poku na publiko.
Onti 20 de Janero, “Dia de Heróis Nacionais”, ta fazi um ano ki es parci pa primero bes na publiko. MAC#114 um grupo formado,na início pa 6 jovens desempregados e studantes ki sa ta buskaba rezolve de “monte” problemas ki sa ta tomaba konta de sociedade cabo-verdiano. Um di kes e taxa alto de desemprego jovem.

Ku elementos spadjado pa alguns ilhas de país, es ganha notoriedade nacional (e ti internacional) kantu kes poi na rua milhares de alguém pa kontesta kel, Estatuto dos Titulares de Cargos Políticos (ETCP). Mas, depos di keli kel ki sa ta parceba um movimento struturado, de sociedade civil, desaparece simplesmente de cena públika.

Jornal A NAÇÃO bai buska principal rostu de movimento, Ronny Moreira, ki è formadu komu sociólogo e è ten profissom de agrikultor.

“Balanço é muto positivo pamodi participasom na polítika na Cabo Verde inda é muto frako”, è fla. “
Sociedade ka staba preparado pa es intervensom, visto ki es staba kustumado ki sta sempre pregadu na partidos políticos”.

“Na verdade nos primeiro manifestasom devia konticeba 13 de janero de ano passado, dia de Liberdade e Demokracia, mas adezon foi poku, pa kel ki, a 20 de Janeiro, Dia dos Heróis Nacionais, nu rezolve arriska, poi cartaz frente de Memorial Amílcar Cabral, na presensa de Presidente de República, de kombatentes de liberdade e de pátria, assim komo de korpo diplomátiko, pa, em silêncio, nu protesta kontra o ki staba (e kontinua) mal na nos sociedade”.

A NAÇÃO